Foto: Julia D’Alessandro

A solidão coletiva –na casa, nas memórias, no diálogo, no amor– é a dança do espetáculo “Só”, que a Antônima Cia. de Dança apresenta no espaço Kasulo até dia 11/10.

Segundo espetáculo da companhia, formada em 2012 por Adriana Nunes, Anna Luiza Marques e Luiza Cardinalli, a coreografia é baseada em textos da escritora Noemi Jaffe, escritos especialmente para o grupo.

Noemi foi professora de Adriana no ensino médio, e é aluna de Adriana na Academia Claudia Mello, em São Paulo.

A professora de dança enviou à professora de literatura algumas palavras para ela escrever pequenos textos sobre o tema casa e intimidade, ideia original para a coreografia.

“A Noemi mandou os primeiros textos sobre aconchego, sexo, comida. Daí mandou o quarto, sobre a solidão, a solidão da casa. Aí percebi que era isso e mudei a concepção do espetáculo”, conta Adriana.

Adriana diz que não se trata da solidão da pessoa solitária, mas do fato de vivermos todas as nossas experiências, mesmo as coletivas e amorosas, sozinhos.

O trabalho de criação da cia. Antônima é coletivo e a coreografia surge de improvisações e pesquisas de movimento das bailarinas, criadoras-interprétes.

Mas, no caso de “Só”, ocorreu algo diferente no processo. Adriana teve uma enorme insônia, quando todas as cenas surgiram em sua cabeça.

“Levantei e já tinha o espetáculo inteiro, as cenas, a sequência. Trabalhamos em cima disso”, conta.

O resultado são as angústias do “diálogo cego”, em que um não escuta o outro, as ondulações quase contemplativas de um conjunto de solidões unidas por um mar-tecido e o vigor das danças em trio.

Noemi, que não viu os ensaios, assistiu a suas palavras dançadas na noite da estreia, na última sexta-feira (2/10).

“Foi emocionante ver os corpos dizendo palavras. Nunca podia imaginar. Elas entenderam o que eu quis dizer”, diz a escritora.

Noemi também diz ter entendido outras coisas sobre as palavras quando elas viraram corpo. “Vi mais solidão do que eu mesmo imaginava. E também mais companheirismo, por incrível que pareça.”

SÓ – ANTÔNIMA CIA. DE DANÇA

QUANDO sex., 9/10, às 21h; sáb., 10/10, às 22h; dom., 11/10, às 19h

ONDE Kasulo Espaço de Arte e Cultura, r. Sousa Lima, 300, tel.  (11) 3666 7238.

QUANTO R$ 20 (os ingressos podem ser reservados por e-mail: antonimaciadedanca@gmail.com)

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.