Um grupo feminino de música sufi vindo do Marrocos, um trio de dançarinos e músicos curdos, um professor de danças judaicas, um grego ensinando danças de seu país, uma professora brasileira ensinando o novo folclore espanhol.

Se uma conferência da ONU fosse um baile, seria o 10º Encontro de Músicas e Danças do Mundo, que será realizado de 25 a 31 de janeiro de 2016 no Espaço Cultural Tangará Mirim, em Imbassaí, na Bahia.

O tema do encontro, apropriadamente (e especialmente importante no momento) é “Por uma cultura de paz”.

“A dança e a música são formas de conhecermos outros povos, outras culturas e crenças e diminuir a intolerância”, afirma Glaucia Rodrigues.

Glaucia é diretora do Centro de Estudos Universais, associação que realiza, desde 1998, os festivais de música e danças étnicas do projeto Dançando Pela Paz. Também dirige o espaço cultural em Imbassaí, onde, além de eventos como os festivais, desenvolve trabalhos com a comunidade local.

Os primeiros encontros, realizados em cidades próximas a São Paulo, como Itatiba, eram mais voltados às aulas de danças étnicas. Com o tempo, o foco foi ampliado. Além da grande parceira da dança, a música, entraram na programação fóruns culturais e palestras.

As oficinas de dança continuam fortes no evento de 2016, que terá em seu dia de abertura (25/1) apresentação de cânticos da tradição Yorubá com a cantora lírica Inaicyra Falcão dos Santos, de cantos sufis com as mulheres de Chefchaouen (Marrocos) e de ritmos curdos com Hussein Zahawy, Goral Kamil e Ertan Takin (Curdistão).

As oficinas, que vão de terça (26/1) a sábado (30/1), começam com atividades de preparação corporal para as danças, com o professor e especialista em psicomotricidade André Trindade.

Seguem da manhã até o final da tarde com as aulas “temáticas”: neo folclore espanhol com a professora de danças étnicas Betty Gervitz, danças judaicas com Alberto Worcman (Gingi), gregas com Kyriakos Moisidis e do Curdistão com Hussein Zahawy.

Rosangela Silvestre, criadora da técnica Silvestre, dará uma aula introdutora de seu método e o grupo de São Gonçalo, de Sergipe, fará uma oficina sobre esta dança para o santo, seguida de apresentação.

Os músicos brasileiros Gabriel Levy e Thomas Howard  comandarão as oficinas sobre músicas do mundo e os franceses Jean Phillipe e Arnaud Pelletier ensinarão o seu “canto vital”.

O trio do curdistão, além da dança, ensinará os princípios da música curda e a ensemble Rhoum el Bakkali, além de se apresentar, fará uma oficina sobre os cantos dos sufis (místicos do Islã).

Durante o encontro, todas as noites depois das aulas no Espaço Cultural, haverá festa na vila de Imbassaí, com danças e músicas do mundo (claro). E no encerramento, no dia 1º/2, tem samba de roda Suerdieck da Dalva, de Cachoeira (Bahia).

10º ENCONTRO DE MÚSICAS E DANÇAS DO MUNDO

QUANDO de 25 a 31 de janeiro de 2016

ONDE Espaço Cultural Tangará Mirim – Imbassaí, Mata de São João, Bahia

QUANTO R$1.088,00 até 31/12 e R$1.288,00 a partir de 01/01/16

INSCRIÇÕES E INFORMAÇÕES site: Dançando pela paz; email:  dancandopelapaz@ceuaum.org.br; tel.: (11) 3071-3842 e (71) 98349-9678

 

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.