Foto:  Silvia Machado

Um corpo, um violoncelo. Um violocorpo que dança cada nota da “Suíte nº 2 para Violoncelo”, de Johann Sebastian Bach.

Em “6 Instantes de Solidão”, a bailarina Jacqueline Gimenes não dança conforme a música: ela é a música que dança.

Interpretada ao vivo por Adriana Holtz, violoncelista da Osesp, a suíte de Bach é o texto e o subtexto do diálogo entre a bailarina e a musicista, o corpo e o instrumento musical, o som e o movimento.

A coreografia foi criada por Rodrigo Pederneiras, do Grupo Corpo, companhia em que Jacqueline dançou de 1991 a 2004. Pederneiras disse certa vez que “Minha ideia é fazer com que música e dança se tornem uma coisa só. Às vezes eu consigo.”

Mais uma vez, conseguiu. E trouxe para a obra a sensação de isolamento, de uma certa dose de amargura misturada a doses de prazer que esta suíte lhe inspira.

Os “6 Instantes de Solidão” de Jacqueline e Adriana no palco são a abertura da Mostra de Dança Feminina Paulista, que começa nesta quarta (17/2), no Espaço Parlapatões, em São Paulo.

Organizada pela Cia Base e com curadoria de Cristiano Cimino, a mostra pretende trazer, a cada semestre, produções paulistas sobre o universo feminino feitas por mulheres de diferentes formações técnicas e criativas.

Nesta primeira edição, misturaram culturas dançantes do Brasil, da Índia e da Alemanha. Depois de “6 Instantes de Solidão”, a mostra segue com a apresentação da dança clássica indiana Bharatanatyam pela bailarina Bárbara Malavoglia e de “ESSEN”, trabalho da performer e coreógrafa Julia Abs, residente na Alemanha.

1ª Mostra de Dança Feminina Paulista

6 INSTANTES DE SOLIDÃO

QUANDO qua., 17/2, às 21h

BHARATANATYAM E ESSEN

QUANDO qua., 24/2, às 21h

ONDE Espaço Parlapatões, praça Roosevel, 158, tel. (11) 3258-4449

QUANTO R$ 30

CLASSIFICAÇÃO livre

Leave a Reply

Your email address will not be published.